quinta-feira, 29 de outubro de 2009

la marseillaise

la marseillaise

a um canto alguém cantarola la marseillaise

não vejo de onde vem o som indignado,
mas o distingo bem
contra a tirania, me solidarizo em qualquer lugar

empunho também minhas armas e forjo meus batalhões:
todas as palavras se enfileiram e tentam dar sentidos à vida,
se insurgem contra o discurso vazio

‘sentido’ é o que buscamos
porque você, assim como eu, [e nisso somos um]
não acreditamos na sedução, no canto das palavras

no entanto
em algum canto,
alguém há que ainda confie

e cante

4 comentários:

neo-orkuteiro disse...

É mesmo. Tanta razão e tanta emoção concentradas que a Marseillaise despertou, é de tirar fôlego, de parar e tomar distância para ver o conjunto, de voltar com lente para apreciar cada detalhe. O texto dialoga, leitor a fazer sua leitura. Fico ainda a buscar sentidos. Cabe reler sua Marseillaise, depois de assentadas as primeiras impressões.
Très bien. Joli, joli.

ONG ALERTA disse...

Faça sua vida ter sentido, use da sabedoria e muita paz.

Anônimo disse...

Your blog keeps getting better and better! Your older articles are not as good as newer ones you have a lot more creativity and originality now keep it up!

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Olá Marcia
Somos seguidoras uma da outra e fazia tempo que eu não entrava. Cosntato que esse teu último Post também já faz tempo que foi publicado.
Belo e maravilhoso Texto.
Diz de fato, como é bom poder distinguir e se orientar por isso.
Beijos
Espero que voltes a escrever.